.

.

27 de agosto de 2011

Silêncio (35)

Sempre esteve ali 
Sempre mais perto do que pensei
Sempre  presente ali

"Onde meus olhos o vêem...
 E minhas mãos não tocam"


Nesta distância doce...
Entre o beijo e o abraço 
Perco-me no meu desapego em esquecer-te

Sempre presente...
Tênue e inerente
Que gosto tenho em sua mente?

F.G. 

2 comentários:

  1. Belíssima poesia, parabéns.

    Abraços,

    Vincent

    ResponderExcluir
  2. Vincent
    Aos seus olhos...
    Grata.

    Beijos.

    ResponderExcluir